quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Réveillon

Neste último dia de dezembro, desde cedo já ouço os fogos de artifício daqueles que começam a brindar e comemorar a chegada de 2009. Final de ano, réveillon é um grande recomeço. Tempo de analisar mais um ciclo que se finda. O ano de 2008 foi um período de grandes mudanças, acontecimentos marcantes e inesquecíveis. Se houvesse como representá-lo eu pensaria em uma montanha russa ou um furação. Literalmente.
Eu, particularmente mudei de cidade, de trabalho, de casa (apartamento), de estado civil, enfim. Mudanças radicais. Chorei profundamente a perda da minha avó. Descobri que respeito e cumplicidade são tudo numa relação a dois e se deixam de existir é porque também não há mais relação.
Aprendi que os pais e irmãos podem ser grandes amigos e aliados. Que filhos realmente são nosso maior tesouro. Em alguns momentos a Gisella, do alto dos seus cinco anos foi mais mãe do que filha para mim. Uma dádiva querida.
Como profissional da Educação, no meio de trabalho, acho que fiz grandes amigos. Colegas professores. Idealizadores de um mundo melhor. Como professora procurei incurtir sonhos e expectativas ao ensinar Português aliado a Literatura. Gostei do encantamento no olho dos alunos que descobriram a fabulosa história de vida de Monteiro Lobato que inteligentemente através da boneca “Emília” deu um jeito de fazer análise crítica dos problemas brasileiros.
Reacendi esperança e crenças nos sonhos quando igualmente descobriram a história de vida e obra de Machado de Assis. Autor descendente de escravos, podre e mestiço que mesmo assim tornou-se um dos maiores autores da Literatura Brasileira. Fundador da Academia Brasileira de Letras. Crianças brasileiras têm que ter educação de qualidade. Professores valorizados. Neste 2008 imprimi o máximo de qualidade no meu trabalho.
Grandes tragédias acompanharam 2008. Tempo que fez alagamentos. A natureza deu seu recado ao homem. Crueldade com as crianças. Quem não lembrará o caso “Isabella”. Guerras pelo mundo. Todavia, prenúncio de anos e dias melhores. Historicamente um “negro” assumirá o comando da política do “grande” Estados Unidos da América. O ano de 2009 acena esperança.
Agora é tempo de recomeço, de valorização das pessoas, da descoberta e importância do “ser” muito mais que o “ter”. De amigos que devem ser materializados mesmo que a interação aconteça a partir de redes cibernéticas.
Desejo para mim e para todo mundo um ano de mais abraço, mais carinho, mais amizade, grandes parcerias. Amor verdadeiro. Que os “estouros” dos fogos de artifícios venham junto com “eufórica” alegria. Esperança renovada. Feliz 2009, que seja realmente um ano ÍMPAR!
Andressa.

2 comentários:

Gisele Reichert Farias disse...

QUE 2009 ILUMINE A VIDA DE TODOS NÓS!!!!

Guilherme disse...

Dentre as diversas análises apresentadas fico com aquela que destaca a importância do SER ao invés do TER. Sim, pois quando nos damos conta da brevidade que é a vida, nos damos conta, ao mesmo tempo, que é importante fazer nosso momento AQUI especial. Assim procuramos cultivar sentimentos, verdadeiros, pois esses enriquecem a nossa alma, esta, penso, permanece para a eternidade. Já os bens materializáveis, são aqueles que podem sim nos ajudar na felicidade da alma, mas jamais tendo somente eles como meta. Sabes por quê? Porque em certo momento da vida nos damos conta que o que importa na vida é o sentimento humano, pois as COISAS se acabam, mas a emoção de ter vivido fica na ETERNIDADE! Beijos e um ótimo 2009!

O sinônimo da palavra AMOR

Acredito que a palavra “MÃE” deve ser uma das mais ditas em cada língua neste mundo. Não tem como negar que a mãe é a pessoa que possui o no...